• Equipe Guia do FIG

Você conhece Igor de Carvalho?



Igor de Carvalho é um cantor e compositor recifense, que vem renovando o fôlego da já vigorosa cena musical de Pernambuco.

O nome de Igor de Carvalho começou a circular fora da cena pernambucana em 2017 quando o gaúcho Filipe Catto, anunciou o lançamento do terceiro álbum com o single Eu não quero mais, música composta por Igor em parceria com Juliano Holanda, outro compositor sobressalente na atual cena recifense, com quem Igor também assina Não tinha amor ali, contundente música gravada com Zélia Duncan em Cabeça coração.

Na sequência, o conterrâneo João Fênix apresentou no ano passado uma então inédita parceria de Igor com o baiano-carioca Moreno Veloso, Meu elemento (É de balé), destaque do álbum Minha boca não tem nome (2018).

O novo álbum Cabeça coração ratifica o talento emergente de Igor Carvalho, cinco anos após o lançamento do álbum de estreia do artista, A tv, a lâmpada e o opaxorô (2014). Com letras expressivas e sangue nas veias, o disco apresenta músicas como Me esqueça, gravada por Igor com a participação do conterrâneo Johnny Hooker e com arranjo que combina metais e guitarras em ambiência progressivamente suja e roqueira.

Extrapolando o universo do rock, o cantor e compositor segue a cadência do pop reggae em Laço e experimenta (alguma) leveza nas formatações das músicas Daqui pra frente, Você – em cujos versos o cantautor aparece com o coração desarmado e espírito redentor – e Não vou me acostumar com o que faz mal, esta embalada em arranjo que destaca o toque do cello de Fabiano Menezes antes de ganhar crescente intensidade na pressão do rock e nas vozes do coro.

Igor de Carvalho inverte a ordem natural das faixas ao abrir Cabeça coração com Ouça bem, parceria com Martins que caberia no arremate do álbum, fechado curiosamente com a única música existente antes da idealização do disco, Só resta o amor, gravada com estrutura quase épica.

Sem perder o pique ao longo das 11 faixas, o álbum Cabeça coração resulta sedutor porque parece ter sido feito com mais coração do que cabeça, destilando raiva, desvelando hipocrisias e pulsando forte em letras como a de Película de vidro, música linkada com a já citada Eu não quero mais em faixa gravada com a adesão vocal do cantor e compositor português Manel Cruz. "Eu não faço tipo, moda e coisa e tal", reitera Igor de Carvalho na também já mencionada letra de Absurdo ser normal. O álbum Cabeça coração dá razão ao discurso do artista.

____

Será que Igor de Carvalho vem para o FIG 2019 - Festival de Inverno de Garanhuns?

Bom. Se ele vem ainda não sabemos, porém, estamos na torcida.

Se você ainda não conhece o som do Igor, clique no link e conheça um pouco:

https://open.spotify.com/artist/1HjEnawtsiWj09rE2FRNtu

#FIG2019 #IgordeCarvalho

46 visualizações

© Copyright 2012 - 2019 - Arretada Comunicação. Todos os direitos reservados.

O 1º aplicativo do Festival de Inverno << | >> Feito com amor em Garanhuns desde 2012